segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Cisma

Meu coração anda cismado
procura novos encantos para se queixar
E torturas renovadas para se prender
Bate um ritmo desafinado

Está tentando enlouquecer

Quando se exaspera procura a solidão
Que só se tem em companhia
Prepara tão gentilmente a própria guilhotina

Quer decapitar a única que traz a salvação

Quer extirpar a Razão
Construir um reino regado de brioches de ilusão

Cismando no desengano de uma amorosa fração

Para renegar a verdade, enganar-se numa nova aflição
Para enfim se render à paixão



Fassura


2 comentários:

  1. Bravoooooooooooo!!!!!!! Acertou em cheio, minha cara! Temos corações irmãos então! Digo e afirmo isso... Entendo bem essa teima, essa cisma de querer outros doces pesares. A exasperação de querer,o 'quando se tem' e do que 'já se teve' e mais ainda 'o que se terá'... São mimos, são caprichos desses corações alados que temos. Paciência, ora! É tudo que nos resta...

    =)

    ResponderExcluir