sexta-feira, 2 de novembro de 2012

A minha avó

Ela segurou minha mão como se fosse uma criança. A mão dela tão desgastada pelo tempo. Tão mais vivida que a minha. Essa mão que carrega a textura dos tempos, das gerações que sustentou. Eu... eu a segurei como uma mãe faria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário