sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Sem trégua

Ela tinha saído com calor, 
na volta começou a sentir um frio. 
Um friozinho daqueles que vem sozinho. 
Abriu o livro e começou a ler. 
E foi pega de surpresa, 
já estava de mãos dadas com a tristeza. 
A indesejada de todos estava na página,
à espreita, dando corda a esperança,
para depois desalentar.
Matou o dia
matou a trégua
matou o sonho
matou
e a leitora pôs-se a chorar

Fassura

Nenhum comentário:

Postar um comentário