sábado, 26 de abril de 2014

Vou me embora para Asgard

Vou-me embora para Asgard
lá sou nora do rei
Ando do lado dos deuses, sou quase lei
Vou-me embora para Asgard
lá bebo e como com fartura
e não me preocupo com as faturas do mês
Vou-me embora para Asgard
lá sou cunhada da irreverência
e ando contra a ciência
Vou-me embora para Asgard
lá o tempo não arde
e se estiver cansada do sol
sou mulher do deus do trovão
que sempre me faz chover




Fassura

Nenhum comentário:

Postar um comentário